Dissipando um mito sobre o programa Suzuki para bebês

Dissipando um mito sobre o programa Suzuki para bebês

Autora: Christine Goodner (christine@SuzukiTriangle.com)
Tradução: Mariana Moretzsohn (marianamoret@hotmail.com) do Centro Suzuki de Vila Velha (ES)

Publicado com a autorização do autora e da tradutora. Versão original (em inglês) pode ser acessada em http://www.suzukitriangle.com/

O método Suzuki para bebês é uma grande paixão que tenho. Sempre fico entusiasmada para falar com outros professores e novos pais sobre o porquê de amar tanto esse método.

Tenho formação em educação infantil e considero ensinar crianças pequenas minha especialidade. Já ensinei em outros programas de música para bebês, e há muitas coisas boas a respeito deles. Não tenho nada de negativo a dizer sobre esses programas, e acho que ter um filho pequeno em qualquer programa de música para bebês é algo esplêndido.

Entretanto, acredito que exista por aí uma ideia de que as aulas de um programa Suzuki para bebês são iguais a todas essas outras aulas que existem por aí e que não existe nenhum motivo para trabalhar com o método Suzuki no lugar de outros programas.

Pela experiência que tenho com ambos, tenho que dizer pela perspectiva de professora que isso não poderia estar mais distante da verdade. Quando observei uma aula Suzuki para bebês fiquei tão animada de ver o que estava acontecendo (e o quanto era diferente) que de imediato soube que era algo que eu precisava fazer.

Percebi que os pontos de ensinar em outros programas de música para bebês que eu achava frustrantes ou contra produtivos (como o ambiente caótico que eu acreditava que não preparava adequadamente os alunos para o ambiente das aulas de música) não apareciam no programa Suzuki – e que tudo fluía de maneira muito natural. Eu precisava descobrir mais sobre aquilo.

Agora que fiz o devido treinamento e comecei a ensinar em um programa Suzuki de música para bebês tenho pensado em como explicar o que torna esse programa tão único. Seguem cinco coisas que para mim se destacam e se diferenciam de outros programas:

1. Maestria: diferentemente de outros programas em que as músicas mudam frequentemente (tanto na aula quanto o que é escutado em casa): no programa Suzuki para bebês revezamos 2 semanas de um currículo preparado. O repertório que utilizamos é construído em camadas e se torna mais avançado para os alunos conforme eles o dominam com maestria (muito parecido com o trabalho feito com o instrumento e as músicas de revisão), mas estamos sempre voltando ao mesmo currículo que conhecemos a fim de construir maestria.

O cérebro de crianças é moldado para aprender por repetição dessa maneira, e certamente queremos que os pais compreendam o poder da repetição e da revisão e o impacto que isso tem na vida de seu filho. Nas aulas, os pais realmente veem esse mecanismo em ação. A maestria do currículo permite às crianças a liberdade de conhecer a música de verdade, de forma que se tornam capazes de focar em outras coisas como dinâmica e musicalidade e muitos outros conceitos que são parte das aulas. Acredito que isso prepara a todos, lindamente, para a maestria que focamos através da revisão no método Suzuki.

2. O desenvolvimento do caráter enquanto um objetivo das aulas: “Caráter primeiro, habilidade depois” era um dos focos do Dr. Suzuki, e também é um dos focos do programa Suzuki para bebês, o que certamente é único. Aprender a esperar sua vez, compartilhar com os outros ao rolar a bola para um amiguinho na aula e ajudar a guardar os instrumentos no lugar com cuidado são alguns exemplos de como fazemos isso.

Ouvimos histórias de crianças pequenas que chegam em casa e gentilmente fazem carinho no cachorro e cantam “Au au au” para ele (ao invés de correr atrás do cachorro como a maioria das crianças pequenas fazem), e vemos crianças muito pequenas que aprendem a esperar, pacientemente, a vez delas, porque sabem que a vez delas vai chegar.

Desenvolver seres humanos maravilhosos, não apenas bons músicos, é o coração do método Suzuki, e o programa Suzuki para bebês trabalha essa questão como nenhum outro programa de música para bebês.

3. Educação dos Pais/Mães Suzuki: desde que iniciei um bom sistema de educação dos pais/mães em meu estúdio de instrumento, isso tem feito toda a diferença do mundo em como novas famílias se tornam bem sucedidas, e também tem tornado meu trabalho, enquanto professora, bem mais fácil. Isso se torna ainda mais verdade se uma família vem para o estúdio vindo da turma Suzuki de bebês, uma vez que tantos pontos de ser um pai/mãe Suzuki são enfatizados durante o programa como parte natural das aulas.

Os pais escrevem em um diário ao final de cada aula e aprendem a perceber pequenos aumentos no progresso que seu filho está fazendo. Eles aprendem a fazer perguntas e a receber encorajamento e feedback dos professores através desses diários.

Os pais aprendem a observar seus filhos de perto, como seu filho aborda o aprendizado de algo novo, e como são, enquanto pais, partes críticas no sucesso do filho.

4. O poder de escutar o repertório em casa: durante as aulas os pais também veem o impacto de escutar o CD em casa e como isso afeta a maneira como o filho participa na aula e aprende as músicas dali. O impacto da repetição, para adquirir maestria e confiança nas habilidades trabalhadas nas aulas, deixa uma marca permanente em relação ao poder da revisão.

Alguns pontos do método Suzuki que são os mais únicos e necessitam de mais explicações quando iniciamos as aulas de instrumento são bastante trabalhados quando os alunos começam primeiro em um programa Suzuki para bebês. A Teacher Trainer Dorothy Jones chama isso de “programa de 3 anos de educação dos pais”.

5. Concentração e calma: tem uma diferença impressionante no ambiente das aulas de um programa Suzuki para bebês e outros programas que já vi e já trabalhei. Os programas Suzuki têm um ambiente de concentração e calma. Pais de crianças um pouco maiores que já participaram em outros programas contam que também já perceberam isso. Enquanto há momentos para ser expressivo e dançar em volta de toda a sala, a maior parte da aula possui uma natureza bastante focada.

Quando as crianças estão calmas, elas podem aprendem mais facilmente, e desde o início da aula, com a atividade de rolar a bola, até as mudanças suaves entre as músicas, há um ambiente que promove aprendizado para cada criança. Isso também é um enorme fator em relação a ajudar os alunos a se prepararem para o aprendizado de um instrumento. Se os alunos entram em meu estúdio tendo vivenciado e desenvolvido essa calma e concentração, então estamos prontos para progredir imediatamente!

Espero que esse artigo ajude a extinguir o mito de que um programa Suzuki de música para bebês é igual a todos os outros programas de música para bebês que existem por aí. De acordo com minha experiência, o programa Suzuki para bebês é a melhor forma de preparar os alunos para entrarem sem dificuldades em aulas de um instrumento, e também para preparar os alunos para o que o método Suzuki exigirá deles.

Compartilhe